segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Minhas recomendações de Quadrinhos Nacionais

Dia 30 de janeiro tivemos o dia do quadrinho nacional, então aqui vão algumas relíquias brasileiras que me divertiram e influenciaram ao longo dos anos.


Gostava muito da revista do Niquel Nausea nos anos 90, era um humor inteligente, meio que camuflado de udigrudi, fingia ser "punk" mas na verdade era de uma eloquência de fazer poetas orgulhosos.









Otacílio D´assunção Barros é nome completo do OTA, editor da Revista MAD desde sempre.

Os quadrinhos "rabiscados" dele sempre me fizeram rir. E tiro o chapéu pra ele.
















NUNCA na história alguém foi tão longe por uma piada. Nem o Chaplin, nem os Irmãos Marx, nem o Jim Carrey.  Por exemplo, que nem na revista MAD que fazia sátira de filmes, na turma da Mônica o Mauricio de Souza colocava os seus personagens nos filmes, algo divertido e digamos.. normal...
mas quando o Mauricio de Souza resolveu fazer isso, ele fez com dezenas de pinturas clássicas, com reproduções que me doem a alma só de pensar.
 
Esse trabalho que levou décadas virou tema de uma exposição "História em Quadrões".  são quilômetros de quadros "monicados". Isso nunca tinha sido feito antes, e nunca será feito novamente.  Isso torna o Maurício de Souza um dos maiores humoristas da história.
  
 



Com o desenhista ANGELI aprendi que desenhar cenários é importante. Então, quando usava nanquim, tentava fazer tantos predinhos quando possíveis.

Eu nunca saquei cem porcento o humor e a crítica do Angeli, mas gostava do tanto de tinta preta que ele usava.













De tanto fazer tirinhas histórias inteligentes demais para um público besta que não entendia as referencias, o desenhista SPACCA foi mais longe ainda, virou professor de HISTÓRIA assim as pessoas entenderiam o que ele estava satirizado.

















Alguns atrás a editora Escala publicou dezenas de títulos de quadrinistas nacionais, sob o selo  Graphic Talents.

Eram títulos leves, como esse mangá nacional "Zuzna. a Gênia do Bule".














"O PENITENTE" é uma HQ do desenhista gaúcho apelidado de "Lorde Lobo". Confiram o desenho que o Joe Bennet (que desenha o Superman pra DC comics) fez pro Penitente

















O mangá nacional de maior sucesso foi o HOLY AVENGER, cortesia da Erica Awano. E é merecido, pois os diálogos rpgísticos são autênticos e divertidos, sem ter que emburrecer a conversa pra noobs não merecedores




O "Analista de Bagé" era um outro quadrinho brasileiro adulto atemporal. O analista atendia e dava broncas a toda população rural das redondezas, de índios, fazendeiros até políticos. Cortesia dos mestres Luís Fernando Veríssimo  e Edgar Vasques
















"Pátria Armada" é outra HQ nacional recente, e lhes digo..é soberba!
 
Não deixa nada a dever a nenhum ULTIMATES. Eles conseguiram financiamento no CATARSE e foi merecido.