terça-feira, 26 de abril de 2016

"Ataque dos Titãs" comentário do filme live-action


Eu vi o primeiro filme live-action do "Ataque dos Titãs", baseado no excelente mangá (e estarrecedor anime) e pensei, que oportunidade desperdiçada.

Com tantos acertos, um bom elenco, bons efeitos especiais (efeitos práticos) a história descarrilhou (pelo menos pra mim).

O filme parece que foi feito por alguém que nunca viu o anime, o diretor deu ênfase ao aspecto "monstro gigante", clássico dos seriados japoneses, ao aspecto catástrofe, o que não é errado per se,

MAS cometeu um erro crasso ao adotar o esquema "herói bundão que só reage ao final". Ninguém quer ver isso.

O problema é que o herói Eren NÃO é um bundão que nem o Shinji de Evangelion,  ele é um moleque furioso com os Titãs, que desde pequeno decidiu matar todos os Titãs da Terra. A heroína MIKASA não é uma moça "ligeiramente desapontada", é uma matadora de titãs decidida a salvar o mundo para ficar junto do Eren.

No filme o ator adulto fica catatônico o tempo todo, muito mais do que a paciência permite. O filme "morre" na metade e nem toda boa vontade do mundo ajuda a terminar a história.

E mudar o cenário da história, uma cidade fortaleza alemã para prédios de papelão genéricos japoneses foi de uma preguiça titânica.

Vou reassistir o anime para esquecer este equívoco.