quarta-feira, 17 de março de 2021

loja de gibis no Shoppe atualizada

Saudações navegantes!

Confiram os novos ítens que disponibilizei na minha loja no Shoppe.


O destaque da vez fica pro encadernado dos Vingadores da Costa Oeste, desenhada pelo mestre John Byrne.

 

Acompanhe o tenso "Resgate do Visão" e confira a história que inspirou o seriado de sucesso do MCU "WandaVision".

"A Feiticeira Escarlate está furiosa, e sua vingança é poderosa.
Os Vingadores da Costa Oeste encontram o Visão na base da Vigilância, aonde o cientista Cameron Brock realiza experimentos no corpo desmontado do Visão."


terça-feira, 9 de março de 2021

Loja no Mercado Livre atualizada

Atualizei meu perfil on-line do Mercado Livre com muitos tesouros nerds (meu codinome é "Darth Nice".)

Estou vendendo uma fração da minha coleção, o que é bastante coisa, com ítens que variam do comum ao extraordinário.

Eu sempre embalo os gibis com saquinhos plásticos, papelões e plástico bolha, o que garante que o gibi (ou gibis) cheguem em perfeito estado, e as avaliações dos compradores podem confirmar que estão muito satisfeitos com suas aquisições. Esteja convidado!

Abaixo, uma cena de "O Homem Aranha: Vingança" parte 1 desenhada por Bob Mcleod:




quinta-feira, 4 de março de 2021

"Tomb Raider Legend" para o PSP

"Tomb Raider Legend" é um jogo excelente lançado em 2006, sendo desenvolvido pela Crystal Dynamics e publicado pela Eidos Interactive, e que pude jogar na época no Playstation 2. 

É o primeiro reboot da série Tomb Raider, recontando as origens da personagem Lara Croft, e contou com nova história expandida, novos personagens, a icônica voz da atriz Keeley Hawes e mais uma vez, uma excelente trilha sonora majestosa.

O estúdio original, Core Design, criou o jogo original, várias edições especiais, até o sexto jogo principal, "Angel of Darkness", que foi injustamente malhado pela crítica preguiçosa, ao incorporar elementos de RPG (falar com personagens para conseguir informações e ítens). O fracasso de vendas levou a Eidos Interactive a passar o jogo para a Crystal Dynamics que desenvolve jogos para a série até agora.

Voltando ao jogo "Tomb Raider Legend", ele novamente conta com cenários gigantescos e com a câmera que segue a personagem. Ao resolver um quebra cabeças, na versão do PS2, cujo controle tem dois pequenos joysticks direcionais, você controla a câmera com o segundo controle, facilitando a observação do cenário e dos elementos dos puzzles.

Porém o PSP só tem um controle direcional, e uma ver  ao ler em uma revista um crítico comentar sobre o jogo, ele comentou que essa versão do PSP sobre por não se ter um controle da câmera, o que dificulta muito essa versão do jogo, chegando a "não recomendar a versão do PSP".

Bom, recentemente eu pude encontrar essa obra prima em minhas andanças, e pude constatar que SIM você pode controlar a câmera com o primeiro joystick, é só apertar o X. 

Pronto, o jogo é sim perfeito e o port roda maravilhosamente bem.

 



terça-feira, 9 de fevereiro de 2021

Encontrando jogos retrô

  

 

Eu nem tenho mais um Famicom (o primeiro Nintendo/NES), mas ver assim repentinamente esses jogos retro em perfeito estado, perambulando no centro de São Paulo, ah fazem o coração bater forte! 



 

Uma curiosidade, os jogos "Ultima", precursores do gênero RPG nos anos 80 desde a época do Apple 2, nos EUA ganharam uma capa com visual super sério, estilo "Dungeons and Dragons" ou "Senhor dos Anéis" enquanto que no Japão eles ganharam um visual ANIME estilo "Dragon Quest".  E o jogo é o mesmo, com os personagens quadradinhos e minúsculos.

Entre minhas memórias mais antigas estão jogar alguns jogos contemporâneos do Nintendo original só que no computador MSX. Mas também, só brevemente, pois lembro que jogava era jogos de navezinha e tirinho como "Polar Star" e "Zaxxon".


O truque será tomar um chuveiro gelado e jogar eles depois no Emulador no PSP!

 Ah, ver jogos como "Valkyrie" me fazem querer estar em Akihabara no Japão!


 haha estas navezinhas irritantes já preencheram várias tardes felizes

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2021

Religando o Game Boy Advance

O meu Game Boy Advance SP, de 2002 jazia desativado e esquecido no canto da gaveta desde 2010, com a bateria drenada. Afinal com os emuladores de GBA para o celular Android (My Boy) e o emulador de GBA para o PSP, ele não era necessário, certo? Mas ver o hype em torno do remake do Zelda me deixou determinado a fazê-lo funcionar de novo, então, "Faça-se a LUZ"!



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


 

















































































 

 

Voilá! Funciona! Fez o "`Plim" inicial! Maravilha! Agora tá bom!

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2021

Revisitando jogos de Game Boy

Sou fã da Sony e coleciono jogos de Playstation. Apos ver tantas pessoas felizes jogando Zelda nos seus Nintendo Switch'es fiquei me roendo de inveja e resolvi entrar na brincadeira. Entao comecei a jogar "The legend of Zelda: Link's awakening", no emulador de GameBoy no Sony Playstation Portátil.

Fiquei embasbacado com a qualidade de jogo. Talvez por que na época em que tive o GameBoy, ou eu não sabia aonde conseguir os cartuchos, ou eu estava muito feliz com o meu "Tetris" e "Castlevania: Adventure", que não parei para pesquisar coisa melhor.

O fato de ter jogado um genérico deste jogo, o "Quest for Camelot", baseado no (muito bom por sinal) desenho da Warner de 1998, mas que resultou, no que percebi depois, uma cópia mal feita deste jogo do Link, me fez subestimar as qualidades do antigo Game Boy.

O diferencial que percebi é que cada área foi bem pensada, não foi "largada" à toa como percebi em outros jogos menos inspirados. 

Começou então uma maratona para descobrir os melhores jogos do Game Boy original,  eme diverti bastante com o jogo de plataforma do Batman, e o adventure "Alien 3". Mas de todos eles, o que mais me surpreendou com a sua jogabilidade, foi o jogo "Chalvo 55" (1997) que é um jogo de plataforma super dinâmico, na qual um robozinho que tem que se infiltrar uma base inimiga, se transforma numa bola que tem que rebater pelo cenário, evitando lanças pontudas que possam danificá-la.

O subtítulo do jogo diz "Super Puzzle Action",  o que é verdade, rebater velozmente o robozinho pelo cenário, em uma mistura de blockbuster, com "Boulder Dash" e Megaman, me fez tirar o chapéu.

Fica aqui a minha recomendação de jogo retrô para vocês, arqueólogos de plantão, se divertirem. :)






 

 

sexta-feira, 5 de junho de 2020

Blog de esboços / sketchdump

Bom dia navegantes!

Permitam-me apresentar este outro blog aonde estou colocando esboços casuai e tirinhas aleatórias:

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2020

Clemente - personagem de tirinhas da Argentina

Um desenho que fiz agora de Clemente, classico personagem filosofico das tirinhas de jornal da Argentina dos anos 70 e 80. Cortesia do saudoso cartunista Caloi.

Quando estive na Argentina na casa de parentes nos anos 80, meu tio fazia questão de recortar para mim as tirinhas do Clemente. Li centenas de tirinhas e aprendi o que é ser porteño, cidadao de Buenos Aires. Ele era um comentarista social, filosófico e esportivo. Era o psicanalista da Argentina.

Foi figura de destaque em várias copas e estava em toda parte. Não me recordo dele sendo especifcamente político, esse era território da Mafalda. Ele até tinha programa infantil com fantoches estilo "Muppets".

Clemente tinha seu chiclete, seu álbum de figurinhas e bonecos de pelúcia. Não sei se foi publicado algum dia no Brasil, com certeza algo se perderia na tradução do castelhano. Pros arqueólogos dos quadrinhos, vale a busca.



terça-feira, 7 de janeiro de 2020

segunda-feira, 9 de dezembro de 2019

A Espada Selvagem de Conan - A Coleção

"Guía prático de como encarar a semana, conselhos de renomado coach fitness". E esse mesmo!

























































Que beleza esse nanquim e esse papel branco chique! Quase sinto falta do papel jornal fragil que soltava tinta nos anos 80 e que depois servia pra forrar o chao da gaiola do passarinho.




Como eu vejo um passarinho