sábado, 27 de fevereiro de 2016

"Demolidor: Diabo da Guarda" da coleção Marvel/Salvat


















Comprei e reli o encadernado do "Demolidor: Diabo da Guarda" da coleção Marvel/Salvat.


Nossa, foi um prato cheio reler essa história que já havia sido publicada aqui no Brasil no formatinho, ainda mais com esse papel belíssimo!  Ahem...nessa história os redondos Kevin Smith (roteiro) e Joe Quesada (desenhos) fazem por merecer seus salários fazendo gato e sapato do Matt Murdock, numa espécie de  continuação espiritual a "Queda de Murdock".

Tiro o chapéu pra arte do Quesada. Como editor da Marvel o Quesada é ótimo desenhista. Eu perdôo todas as suas presepadas editoriais e mancadas colossais pois seus desenhos são muito bons.

O Kevin Smith ficou à vontade escrevendo o Demolidor (assim como ele escreveu um excelente Arqueiro Verde depois). Ele é um nerd de várias áreas, e aplicou seu conhecimento de religião para criar o seu Matt Murdock condizente com o do Frank Miller: ver o Murdock num confessionário é quase como ver o Batman num gárgula, faz parte, é  esperado e condizente com o personagem, e aqui faz completo sentido novamente.

Mas não é por ser um personagem "da rua" que o Demolidor não vai interagir com o resto do universo Marvel, o Dr.Estranho tem uma ponta que quase rouba toda a cena. É isso que o Todd McFarlane queria fazer com o Spawn ao fazer histórias contadas do ponto de vista de detetives humanos. O Demolidor consulta o feiticeiro, e visto dos olhos de uma pessoa "comum", o Dr.Estranho fica ainda mais sobrenatural.

Nesse aspecto, tanto as HQs do Demolidor quanto o Arqueiro Verde tem algo de "Constantine", no sentido que uma pessoa comum, no caso o herói mais "rasteiro" e insignificante acaba tendo uma importância universal, e tendo um status multi-versal. Tipo assim, se o  Mefisto te conhece, então alguma coisa certa você fez.

Resumindo, seu bolso vai reclamar, mas você vai ficar feliz.