terça-feira, 17 de maio de 2016

Mulher Maravilha - Sangue


Num esforço hercúleo para me atualizar e não ser um hater, comprei o encadernado da "Mulher Maravilha - Sangue" que junta os primeiros números do reboot dos Novos 52. Sei que pra maioria isso é história antiga, e dos novos 52 só li "Batgirl" e "Aquaman".

Brian Azarello é um escritor de quadrinhos, famoso por escrever "100 balas" e outras histórias de máfia. Ele tem muitos fãs. E tem um péssimo hábito, no mundo dele, as pessoas são tão espertas que completam a conversa uma da outra, algo muito visto em "Superman: Pelo amanhça". Aliás, nem precisam conversar pois são telepatas.  Bom, o que esperava, pedir pro Azarello escrever Mulher Maravilha é como pedir pro Hannibal Lecter escrever "Caminho Suave".

Se o reboot fosse feito no início dos 2000 eu diria que é o "efeito Xena", mas como esse reboot é de 2012, eu diria que é o efeito HBO mesmo.

Imaginando essa história com um Elseworld, a ainda venerando a versão do George Pérez, estou achando essa versão Vertigo/HBO sangrenta e melequenta bem interessante.

Essas Amazonas me lembraram a versão da IMAGE comics das Amazonas, que apareceram nos quadrinhos de GEN 13, as "CODA", que abusavam de piratas e depois se livravam deles.

Ah, eu me odeio por estar gostando dessa história!