sexta-feira, 13 de maio de 2016

Supergirl - A primeira temporada


















Comentário sobre o seriado  da Supergirl, com spoilers, que todo mundo aqui já viu :) 

Eu gostei muito da série, ficou muito melhor do que esperava. Pelo trailer, o piloto parecia que ia ser direto um "O Diabo veste Prada" com cenas de vôo, mas, tinha muitos elementos legais. 

Cada episódio  começa com "Meu nome é Kara Zor-el..." que nem no Arrow "Meu nome é Oliver Queen" e no Flash.. "My name is Barry Allen"

O piloto parece que é continuação do filme "O Homem de Aço", pero no mucho. As cenas de Krypton são novas e não se parecem muito com o filme do Nolan e do Snyder, e o Superman aparece borrado, só a sua silhueta, para não se comprometer com nenhuma versão do Superman existente. Como eles não podem usar a música do John Williams, o compositor usou uma ÚNICA nota do trompete usado na orquestra. Ahh como queria que tocasse mais notas.

A nave da Supergirl se parece com a nave desenhada pelo Michael Turner na HQ "Batman/Superman: Supergirl from Krypton", que parece uma curva francesa com mais detalhes.

O Superman da série "Lois & Clark", Dean Cain e a Supergirl do filme de 1984 aparecem como os Danvers, os pais adotivos de Kara Zor-El.

Outro fato interessante é que em 10 minutos de TV temos uma evolução melhor do que em 10 anos de Smallville. Kara aceita que é a Supergirl e tem uma montagem divertida de escolha de roupas, tal como no primeiro episódio de "Lois & Clark".

Interessante ver uma estação espacial na zona fantasma, sim, precisamos de mais naves espaciais kryptonianas!

E um paralelo com Buffy, a Caça Vampiros, que tinha o buraco do "inferno" daonde surgiam os monstros, e "The Flash", que os metahumanos são na sua maioria originados pelo acidente com a tempestade e o acelerador de partículas, parece que vários vilões virão da prisão na Zona Fantasma.

Outra novidade é... termos uma Supergirl feliz, ao contrário da moça enfezada de Smallville.  A atriz Laura Vandervoort faz uma ponta no seriado como uma vilã andróide transmorfa parece a Mística dos X-men.

E melhor ainda, você poder assistir jantando com a família, pois é água com açúcar, e não um "Daredevil" com pessoas esganadas no escuro e efeitos sonoros melequentos.(blegh, cof, blosh, urg)

Também gostei que outro personagem conhecido da Liga da Justiça, o Caçador de Marte é dado o devido respeito e tempo de tela. No seriado Smallville, ele apareceu com um ótimo ator, que transmitia a vulnerabilidade e empatia do Marciano. Aqui também temos o mesma atenção com o personagem, só que com mais força (pero no mucho).



O que também gostei

Todos os episódios tiveram cenas de ação, e para mim, um detalhe que gostei mesmo, foi o fato dela fazer PATRULHAS constantes na cidade. Nos quadrinhos da era de prata o superman está sempre sobrevoando a cidade tomando conta das pessoas. E não ficando no celeiro choramingando se perguntando "qual meu lugar no mundo, mimimimi"





No episódio em que a supergirl foi contaminada por Kryponita vermelha e se torna "malvada", ela vai num bar e começa a jogar amendoins contra as garrafas de licor nas prateleiras .




Foi uma homenagem ao filme SUPERMAN III como Christopher Reeve, que estava contaminado por uma kryptonita artificial e também ficou "malvado"






Um recado pro Snyder e pros Nolans e Singers da vida, vocês são talentosos mas o mundo da DC é FELIZ. É amigável, os heróis são amigos entre si. Entenderam? SuperAMIGOS. O episódio com o Flash é o exemplo máximo de uma história em quadrinhos da Era de Prata transferida pras telas, tal qual "Superman: O Filme".  Tem corridas, risadas, universos paralelos explicados no meio de uma sessão de sorvete. Tinha LUZ DO SOL.


O que eu não gostei

Reconheço que o elenco de apoio é importante, mas ver em alguns episódios todos eles juntos, inclusive todo mundo do jornal na base militar secreta e vice versa como se fosse Shopping Center é de forçar a realidade. Mesmo uma realidade com kryptonianos.

Maxwell Lord: Foi uma decisão estúpida da DC fazer o adorável pilantra Maxwell Lord, que é mais herói que trapaceiro um Lex Luthor light. Eu lembro dele reunindo a Liga da Justiça Internacional nos quadrinhos. Ele só se tornou vilão naquela história cretina e inútil "Crise Infinita".




O líder dos vilões Kryptonianos, Non, tem a presença de um vendedor de quitanda. Nem de longe parece nenhum dos excelentes atores que fizeram o General Zod. Parecia que o ator ia dormir em frente das câmeras.






O Superman borrado,  invisível, indefinido, fantasma de Supergirl.  Eu entendo que os produtores não querem que este seja um seriado do Super-homem, e que a presença dele iria tirar o foco da Supergirl, mas é um exagero só mostrar ele de relance, como se fosse um fantasma. Não é pra tanto.





Resumindo, tivemos uma ótima primeira temporada e a segunda acabou de ser confirmada, depois de um pequeno suspense. :)